menu

Topo
Corrida no Ar

Corrida no Ar

Posso usar tênis novo na prova? Veja 8 erros comuns na maratona

Sérgio Rocha

2026-02-20T19:04:00

26/02/2019 04h00

Crédito: iStock

Correr uma maratona só é "fácil" se você treina adequadamente. Mas é importante se atentar para não cometer erros comuns que podem atrapalhar a sua prova

  1. Tomar líquidos demais no dia anterior. Sim, eu sei, existe uma paranoia de ficar hidratado para a maratona e muita gente acaba exagerando na quantidade de líquidos que bebe no dia anterior aos 42 km. Qual é a consequência imediata disso? Você vai ter que dar vazão a esse excesso durante a prova uma, duas vezes, e isso pode comprometer o seu rendimento. Lembre-se de repetir o ritual dos dias anteriores ao seus treinos longos que a chance de sucesso é quase de 100% (claro, se seus treinos longos deram certo)
  2. Largar mais rápido do que o ritmo pretendido. Tente sempre observar o ritmo proposto por você mesmo ou seu treinador. Sair mais rápido que deveria em geral tem um custo muito grande na parte final da prova, ou seja, a chance de você quebrar na prova aumenta exponencialmente.
  3. Usar coisas novas no dia da prova. Até corredores experientes cometem esse erro – pode ser uma marca nova de gel, tênis novo, roupa nova. Essa é uma das coisas mais importantes na maratona – treino serve pr você treinar e simular o que irá fazer e usar. Experimentar coisas novas pode ser um desastre – o gel novo pode não cair bem, o tênis novo pode te dar bolha, e assim por diante. Portanto, recomendo que não corra esse risco.
  4. Achar que a prova tá fácil e aumentar o ritmo antes de chegar nos 30 km. Tem uma máxima que diz que se você está correndo uma maratona e está se sentindo bem, pode esperar que isso não vai durar muito. Acredite no seu treinamento e não tente fazer um ritmo acima do que estava esperando. A Maratona costuma ser cruel com quem tem esse tipo de iniciativa. Respeite a distância que vc você está correndo! Muitos dizem que a maratona começa a partir do km 30.
  5. Esquecer de passar vaselina ou equivalente para se proteger de assaduras. Quando corremos longas distâncias, algumas partes do corpo ficam encostando em outras e gerando atrito, que pode gerar assaduras, por exemplo, na virilha, embaixo dos braços ou até mesmo o contato dos mamilos com a camiseta – varia de pessoa pra pessoa. O ideal é passar vaselina nessas regiões, pois se você esquece disso, sua prova pode ficar mais difícil e dolorida. O seu banho então…
  6. Achar que está correndo sozinho. Existe a síndrome do corredor dono do mundo. Você não é a única pessoa correndo a prova. Procure sempre olhar para os lados e para trás quando chegar a um posto de abastecimento para não atrapalhar outros corredores. Pegue a água ou isotônico e volte para o centro da via – quando for descartar o copo ou garrafa, observe também para não jogar na cabeça de um ou uma colega corredora – aproveitando isso, lembre sempre de ficar atento no chão nos postos de água, frutas ou isotônicos – muitas vezes o chão fica escorregadio, ou você  pode pisar em algo e sua prova pode acabar por alí mesmo.
  7. Esquecer de usar protetor solar. Meu amigo e minha amigo, nós moramos em um país tropical. Mesmo largando cedo, muitas vezes você passará algumas horas correndo com sol na cabeça, então, não esqueça de se proteger para não virar um camarão depois. Ah, sem contar que sabemos que mesmo com o tempo nublado, tem o famoso mormaço, que também queima. O fato é que você  vai passar horas correndo. Seja sempre precavido!
  8. Confiar cegamente no ritmo do GPS. O ideal é que você corra em um ritmo que fique entre 4 a 5 segundos abaixo para conseguir o tempo pretendido – explico: primeiro, GPS não é 100% preciso. Ele tem uma margem de erro pequena, mas que vai se acumulando. Segundo, você nunca vai conseguir fazer todas as tangências perfeitas na prova. Então, se quer fazer, por exemplo, uma média 5:40 min/km, tente permanecer em um ritmo entre 5:36-5:35 min/km, pq aí você irá compensar a margem de erro do GPS e conseguirá o tempo que realmente quer na prova.

Sobre o autor

Sérgio Rocha começou a correr para perder peso há 20 anos e nunca mais parou. Nesse caminho, já completou muitas maratonaS, meias-maratonas e incontáveis provas de 10 km. Como profissão, era diretor de arte, mas sempre escrevia um texto aqui e outro ali nas revistas em que trabalhou. Em 2013, criou o canal no YouTube “Corrida no Ar”, que é hoje um dos maiores do segmento. Sérgio também apresenta o programa “Corre 89”, na Rádio Rock de São Paulo, junto do radialista PH Dragani. O programa vai ao ar todos os domingos, às 20h.

Sobre o blog

Este é um espaço para falar sobre o esporte de forma geral, dando dicas, cobrindo provas, escrevendo análises de produtos do mundo esportivo e, por vezes, também fazendo questionamentos que vão ajudá-los a olhar a corrida sob uma nova perspectiva.